Publicidade
HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

Santa Catarina espera colher 79% mais trigo nesta safra e possibilitar rentabilidades aos produtores

Publicado em 20/08/2021 12:50 109 exibições
João Rogério Alves - Analista de socioeconomia do epagri/cepa
Área plantada cresceu 60% com relação à safra passada e produtividade também deve ser maior. Preço do trigo voltou a subir no estado e cereal deve ser destinado à ração animal

Podcast

Santa Catarina espera colher 79% mais trigo nesta safra e possibilitar rentabilidades aos produtores

Logotipo Notícias Agrícolas 

A aposta da safra de trigo em Santa Catarina foi alta nesta safra de inverno 2021, com a área cultivada crescendo 60% com relação ao ano passado e chegando aos 93,2 mil hectares.

Segundo o analista de socioeconomia da Epagri/Cepa, João Rogério Alves, os bons preços do trigo, a falta de concorrência de outras culturas no inverno e a falta de milho no mercado foram os fatores que motivaram este crescimento.

Publicidade

O otimismo se estende também para os rendimentos desta safra. A Epagri estima um aumento de produtividade de 12% para chegar em 3 mil quilos por hectare e uma produção final 79% maior do que a de 2020, superando as 307 mil toneladas.

Para que isso se confirma, é preciso que o clima siga contribuindo com as plantas. Alves relata que 15% das lavouras estão em floração e, até setembro, toda a área estará em enchimento de grãos, fase que necessita de chuvas e é mais frágil para geadas.

De olho no mercado, o especialista destaca que as cotações voltaram a subir em agosto e a própria elevação do preço do milho ajuda a puxar o trigo para cima, dando perspectiva de rentabilidade aos produtores.

Confira a entrevista completa com o analista de socioeconomia da Epagri/Cepa no vídeo.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário