Cenário ajustado entre oferta/demanda para o milho deve manter cotações acima do piso de R$ 70,00 ao longo de 2021, diz analista

Publicado em 09/03/2021 10:43 e atualizado em 09/03/2021 15:50 1624 exibições
Roberto Carlos Rafael - Germinar Corretora
Germinar Corretora acredita que, após entrar no ano com estoques bem apertados e com demanda aquecida, preços do cereal no Brasil vão permanecer sustentados e remuneradores aos produtores mesmo com a chegada de volumes da safra de verão e da safrinha. Cotações seguem em alta também em Chicago e exportações ganham força neste início de ano

Podcast

Com cenário altista para o milho, preços não devem ir abaixo de R$ 70,00 em 2021, diz analista

Download

LOGO nalogo

Os preços do milho vêm registrando movimentações altistas nos últimos tempos no Brasil com a Bolsa Brasileira (B3) chegando aos R$ 96,00 para o vencimento maio/21 e o indicador Cepea trabalhando próximo aos R$ 90,00.

Na visão do analista de mercado da Germinar Corretora, Roberto Carlos Rafael, o estoque de passagem apertado na virada do ano e questões logísticas são as responsáveis por estas altas. Ele explica que, com toda a cadeia logística voltada para a colheita da soja, fica difícil conseguir manejar milho neste momento.

Porém, mesmo com o término dessa questão logística, os preços do cereal no Brasil devem permanecer elevados, conforme aponta Rafael. “Isso vai perdurar até o final de março, quando entrará mais colheita de verão em São Paulo, por exemplo, mas os preços vão ser firmes e extremamente remuneradores o ano inteiro”, diz.

O analista acredita que a cotação do milho não deve baixar para menos de R$ 70,00 , pelo menos, até a próxima safra verão em 2022, o que garante patamares com margens muito boas aos produtores brasileiros.

De olho em Chicago, o cereal também está valorizado no mercado americano com cotações ao redor dos US$ 5,40, índice considerado elevado por Rafael, que credita o movimento mais às altas da soja do que a elementos do próprio milho.

Para as exportações, a expectativa é um total de 35 milhões de toneladas embarcadas em 2021, patamar elevado que irá manter os estoques de passagem bastante apertados na virada para 2022.

Confira a íntegra da entrevista com o analista da Germinar Corretora no vídeo.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário