Cenários para o milho em 2021 são de altas remunerações, diz analista

Publicado em 16/12/2020 11:10 e atualizado em 16/12/2020 13:03 2751 exibições
Roberto Carlos Rafael - Germinar Corretora
Mesmo as lavouras que ficarem fora da melhor janela de cultivo serão rentáveis no próximo ano com as perspectivas de estoques muito apertados e demanda seguindo crescendo tanto no Brasil quanto internacionalmente

Podcast

Cenário de preços do milho em 2021 é de altas remunerações e analista aconselha produtor a plantar o máximo possível

Download

LOGO nalogo

O ano de 2020 registrou grandes valorizações para o milho no Brasil. Essas movimentações foram impulsionadas, primeiramente, pela alta maior do que o esperado no câmbio, com o dólar subindo ante ao real, mas também pela demanda aquecida e pelas exportações em grandes volumes.

De acordo com o analista da Germinar Corretora, Roberto Carlos Rafael, a magnitude deste movimento não era prevista, mas os efeitos da pandemia do novo Coronavírus nos mercados mundiais surpreendeu a todos e modificou diversas relações comerciais ao longo do ano.

Para 2021, a perspectiva é de manutenção do cenário positivo e dos preços altos e extremamente remuneradores ao produtor brasileiro. O analista explica que os estoques de passagem serão muito apertados e que a entrada de uma safra verão que teve problemas de desenvolvimento no Sul do país irão contribuir para a sustentação das cotações.

Outro ponto que merece atenção é a exportação, que neste ano deve fechar próxima das 35 milhões de toneladas previstas e pode ser forte novamente no ano que vem, com uma projeção da Germinar Corretora de 33 ou 34 milhões de toneladas.

Diante disso, a recomendação de Rafael é que os produtores plantem o máximo de milho que for possível. Mesmo aquelas áreas que vão ficar fora das melhores janelas de cultivo prometem ser bastante rentáveis nesta realidade de oferta e demanda ajustada no próximo ano.

Confira a íntegra da entrevista com o analista da Germinar Corretora no vídeo.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário