Publicidade

Climatempo confirma mais dias de inverno rigoroso no Centro-Sul do Brasil

Publicado em 22/07/2021 14:54 e atualizado em 22/07/2021 16:31 6216 exibições
Dóris Palma - Meteorologista da Climatempo
Explica que vários fatores que não são captados pelos modelos contribuíram para queda brusca nas temperaturas nesta semana

Podcast

Entrevista com Dóris Palma - Meteorologista da Climatempo sobre as Geadas

Logotipo Notícias Agrícolas

 A intensidade do frio no início desta semana trouxe danos nas mais diversas culturas e já que os modelos meteorológicos não apontavam a severidade do sistema, também pegou muito produtor de surpresa. Anteriormente, os modelos indicavam que o frio seria até mesmo menos intenso do que o frio registrado na última semana de junho. 

Dóris Palma, meteorologista da Climatempo, explica que de fato os modelos meteorológicos indicavam o frio, mas que as temperaturas ficaram muito abaixo do que era previsto.

"O que acontece é um fator que se chama perda radiativa. Por exemplo, as vezes a gente pensa que o horário da temperatura mínima acontece nas primeiras horas da manhã, mas não de madrugada como muitas pessoas pensam, isso porque o sol durante a tarde aquece a superfície, a superfície aquece a atmosfora só que com o predomínio de um céu claro, todo esse calor que foi depositado na atmosfera durante a tarde rapidamente vai embora. Então esse processo de perda rápido de calor durante a madrugada e também no período da noite, ele que é responsável por essa queda brusca nas temperaturas", comenta. 

Afirma que ainda que o Brasil teve vários dias com noite e madrugada com céu mais limpo do que era previsto. "E esse céu claro combinado com essa massa de ar frio que foi o responsável. A gente previa que esse ar frio iria entrar e iria trazer geadas em diversos pontos, mas por conta da perda radiativa a queda foi muito mais brusca que o previsto", acrescenta.

Publicidade

Próxima semana com frio intenso 

Dóris alerta ainda que o frio deve voltar com intensidade na semana que vem. "Essa onda de frio vem chamando ainda mais atenção", comenta. Na região Sul do país, entre os dias 27 e 31 de julho, as temperaturas em todo o Sul do Brasil devem ficar abaixo de 0ºC em várias áreas, aumentando as preocupações para áreas de trigo, que já foram impactadas com essa última geada. 

Olhando para a região Sudeste do Brasil, os modelos indicam temperaturas entre 0ºC e 3ºC em São Paulo e sul de Minas Gerais. "Áreas cafeeiras novamente poderão ter temperaturas próximas de 0ºC, condição para geada", comenta. Acrescenta ainda que as áreas de produção de cana-de-açúcar e citros têm previsão de geadas entre o final de julho e início de agosto. 

As temperaturas devem cair bastante no Centro-Oeste, com destaque para o Mato Grosso do Sul, sobretudo para o centro-sul do estado que deve ter as temperaturas mais baixas. Os modelos mostram ainda declínio em Goiás e no Mato Grosso. 

Confira a entrevista completa no vídeo acima

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

2 comentários

  • JAC.SEMENTES Bom Jesus - SC

    Verdade, F. Torres.

    1
  • fredmar da silva torres Rondonópolis - MT

    E O AQUECIMENTO GLOBAL, PRA ONDE FOI? SE ESTE ANO O INVERNO ESTÁ MAIS RIGOROSO.

    7
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Mas nunca chegou a 14ºc na Antartida e 42 na Europa /Russia etc

      0