Consultor em qualidade diz que demanda por cafés especiais aumenta a cada ano e Brasil tem potencial para ampliar a oferta desse tipo de produto.

Publicado em 19/03/2015 10:54 199 exibições
Consultor em qualidade diz que demanda por cafés especiais aumenta a cada ano e Brasil tem potencial para ampliar a oferta desse tipo de produto. Produzir com qualidade agrega valor a produto final e pode fazer a diferença entre lucro e prejuízo
No final do da década de 80 o Brasil era conhecido por produzir café de commodities, mas em 1991, o fundador da Illy veio ao Brasil com objetivo de realizar um prêmio para o café expresso, comprar diretamente do produtor e pagar um preço acima do mercado.
 
"Hoje o país já é conhecido por produzir um café de qualidade. O produtor começou a estudar, aprender e buscar informações de como se produzir um café de qualidade", afirma Teixeira.
 
Teixeira explica que "muitas vezes o cafeicultor conhece bem as técnicas agrícola, mas tem dificuldade no pós-colheita. O que o produtor tem que fazer é preservar essa qualidade desde o pé até a xicara". Não se pode colher o café com muitos 'verdes', logo após deixa o grão amontoado no terreiro, esses são apenas dois aspectos necessários para preservar a qualidade do café.
 
O café de qualidade teve um aumento de 3% no consumo nacional, e o investimento na produção de uma bebida superior não é elevado. Segundo Teixeira, apenas o fato de preparar o café no mesmo dia da colheita, já é um ganho de qualidade.
 
"Por exemplo, espalhar em camadas finas e remover constantemente; cuidar bem no preparo da cultura para não parecer defeitos como o preto, o preto verde e o ardido; a tulha, ela deve esta no escuro, sem umidade e com temperatura elevada. São pequenos detalhes que podem ser mudados e melhorar a qualidade do café", explica.
 
A Illy Café realiza todos os anos uma premiação para as bebidas de qualidade expresso. Em junho, a empresa inicia as inscrições para o 25º Prêmio Ernesto Illy de Qualidade do Café.
 
As exigências são: um café no mínimo tipo 3, com no máximo 12 defeitos em 300grs, peneira 15 acima, bom aspecto, teor de umidade de 11% e boa qualidade na xícara de filtro e expresso. "Evidentemente que o aroma dará o feixe final na qualidade do café", completa.
 
Segundo ele, a qualidade do café deve ser sentido na degustação do café puro. E o preço desse café de alta qualidade vária de acordo com diversos aspectos, sendo a altitude é um fator relevante para aromatização do grão.
 
Na 24º edição do Prêmio Ernesto Illy de Qualidade do Café, o vencedor do melhor café na safra 2014/2015, foi um produtor do oeste paulista, cidade de Sarutaiá (SP), acabando com o hegemonia mineira de 3 anos.
 
"Nós estamos desafiando os mineiros, porque com poucas amostras o café paulista conseguiu o primeiro e terceiro lugar. O primeiro colocado ganhou 60 mil reais em prêmio", completa.
 
Contudo, o consultor ressalta que a safra deste ano favoreceu os produtores paulistas, haja vista a seca durante o período da colheita.

 

Por:
Aleksander Horta // Larissa Albuquerque
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário