Publicidade

Oferta restrita de animais, exportações em alta e retomada da economia são fundamentos para @ de R$350,00 no último trimestre

Publicado em 07/06/2021 12:19 e atualizado em 07/06/2021 17:17 1917 exibições
Fernando Henrique Iglesias - Analista da Safras & Mercado
Mas apesar de preços inéditos para @, custo de produção pode disparar e limitar rentabilidade da atividade

Podcast

Entrevista Fernando Henrique Iglesias - Analista da Safras & Mercado sobre o Mercado do Boi Gordo

Download
 

LOGO nalogo

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o analista da Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, informou que os preços da arroba do boi gordo estão mais acomodados na praça paulista. “Na última semana de maio, a disponibilidade de animais voltou a ficar restrita e o mercado começou a mudar de patamar, na qual os preços com padrão China saíram dos R$ 307,00/@ e passaram a ser negociados a R$ 320,00/@”, comentou. 

Publicidade

Atualmente, as programações de abate estão ao redor de 3 a 5 dias úteis no estado de São Paulo. “A semana está começando bem devagar com indicação de preços por parte das indústrias frigoríficas e os pecuaristas estão estudando o mercado para saber como que vai ficar”, destacou em entrevista. 

Os preços da carne bovina registraram valorizações na última semana e boi casado em São Paulo está cotado ao redor de R$ 19,10/kg. “O movimento está muito interessante para esse período, mas o frigorífico que opera apenas no mercado doméstico segue em uma situação muito difícil”, ressaltou. 

Para o segundo semestre, o analista acredita em uma melhora do consumo doméstico devido ao avanço da vacinação e os preços da arroba no mercado interno também devem ficar elevados diante das exportações aquecidas e oferta restrita de animais. 

“No ano passado tivemos o menor volume de animais abatidos da década e os dados não são tão animadores neste ano, isso deve levar um cenário altista. Outro fator que deve melhorar as exportações, é a paralisação dos embarques argentinos em que a China deve procurar proteína em outros países”, concluiu.

Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário