HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

MS plantou 27% menos algodão e falta de chuvas pode impactar na produtividade

Publicado em 19/04/2021 10:45 535 exibições
Adão Hoffmann - Diretor Executivo da Ampasul
Expectativa da Ampasul é, pelo menos, repetir a produtividade média de [email protected] da safra passada que também enfrentou dificuldades climáticas. Produtores aproveitaram retomada do mercado para vender 70% desta produção e estão animados para retomar áreas cultivadas para o próximo ciclo

Podcast

MS plantou 27% menos algodão e falta de chuvas pode impactar na produtividade

Download

LOGO nalogo

Ao final da safra 2019/20 a Ampasul (Associação Sul-Matogrossense dos Produtores de Algodão) estimava que o ciclo seguinte, o 2020/21 teria uma redução de área cultivada entre 15 e 20% motivada pelos baixos preços do algodão em comparação à soja e milho no momento de tomada de decisão do produtor entre abril e maio de 2020. 

Esse movimento não só se confirmou, como foi ainda mais forte. Segundo o diretor executivo da Ampasul, Adão Hoffman, houve uma redução de 27% na área cultivada para esta safra não só em função desta questão de mercado, mas também pelo atraso na safra de soja que impossibilitou o plantio do algodão safrinha no estado. 

Além de diminuir a área cultivada, o produtor sul-matogrossense se preocupa neste momento com relação as condições climáticas para o desenvolvimento das lavouras. A liderança aponta que o ciclo da cultura deverá ser reduzido em 15 dias devido a essa falta de chuvas e que pode haver perda de produtividade no ponteiro. 

Sendo assim, a entidade espera, pelo menos, repetir a produtividade medida da safra passada que ficou em [email protected] por hectare e atingir a produção final de 40/42 milhões de toneladas. 

Olhando para o mercado, Hoffman relata que 70% desta produção já foi negociada com os produtores aproveitando a retomada dos mercados nacional e internacional no segundo semestre de 2020 para conseguirem boas oportunidades de vendas e se animarem, inclusive, para recuperar a área cultivada no ciclo seguinte 2021/22. 

Confira a íntegra da entrevista com o diretor executivo da Ampasul no vídeo.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário