Como medir os investimentos para evitar os exageros? Paulo Nicola responde.

Publicado em 21/08/2020 18:11 e atualizado em 01/09/2020 14:12 2912 exibições
Paulo Roberto Nicola - Empresário e Produtor Rural na Região de Santiago/RS
Contra os furos na barrica, o auxilio do agrônomo "QI" -- mais uma entrevista da série Gestão Financeira dentro da propriedade rural, com o produtor rural e empresário Paulo Roberto Nicola, de Santiago (RS)

 

Podcast

Como medir os investimentos para evitar os exageros? Paulo Nicola responde.

Download

 

Na 8a. entrevista da série sobre gestão financeira rural, o produtor Paulo Roberto Nicola chama a atenção do produtor para as despesas de investimentos exageradas, e recomenda: "Antes de gastar, olhe para dentro da propriedade; veja o que está causando custos desnecessários. Por exemplo, um maquinário ultrapassado, que exige manutenção constante. Certamente esse é um ponto por onde escorre o lucro".

-- "É como se uma barrica estivesse furada, deixando vazar parte do lucro!"

Autor de dois livros sobre administração financeira rural, o colaborador do NA adverte que todas as despesas saem, inevitavelmente, da safra.

-- "Logo, antes de investir, o produtor tem de dimensionar o uso e a utilidade do maquináro. VC não pode comprar equipamentos que vão sobrar dentro da propriedade, e o mesmo se faz com o que está sendo substituido. Se deixar, o maquinário velho não sai mais da propriedade, e o custo de manutenção é constante.

Por fim, Paulo Nicola diz que, a partir de agora, o auxilio do agronomo será fundamental. "Os bancos só vão emprestar se o produtor contar com o auxilio de um agronomo. Ele é quem vai dimensionar os investimentos, será co-responsável pelos investimentos; o agronomo, a partir de agora, será um profissional diferente, deixará de ser vendedor para ser um parceiro do produtor, como um médico de familia, o agronomo será também "da família" do produtor. 

O agronomo é quem vai indicar e assinar embaixo, "um agronomo QI, o que indica...e assina ".

(Veja a íntegra da 8a. entrevista acima, e baixe gratuitamente seus dois livros (Logica da Economia Rural e Lucre Sempre com a Soja) no site www.economiarural.com.br)

 

 

Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

2 comentários

  • Valdecir Rodrigues de Oliveira Mogi das Cruzes - SP

    Lei do Mínimo: "É a tábua mais curta que determina o nível do Barril"... (N, P, K, Ca, Mg, S...)...

    Lei do Barril Furado: "Não há lei do mínimo que dê jeito"...

    Aproveitando: Certa vez peguntei a um grande amigo meu se compensava bancar a ociosidade de uma colheitadeira. Ele me respondeu que, embora tivesse ciência deste "desaforo" com o $ próprio, não tinha muita escolha, pois, os terceirizados de colheita também eram produtores, além de prestar o mesmo serviço a outros clientes na região, e, todo mundo queria e precisava aproveitar as mesmas janelas ideais para colheita ao mesmo tempo. Dependendo da condição climática e de mercado daquela safra específica, um dia, uma semana, ou algumas horas podem representar um grande prejuízo. Fui obrigado a concordar com ele.

    Estou curioso para saber como o Sr. Administra este item, colheita terceirizada, na sua experiência.

    Obrigado também: Nunca ouvi de nenhum colega Engenheiro Agrônomo tamanha defesa e análise precisa de nosso papel neste "novo mundo" da Agricultura, no que diz respeito às novas modalidades de "compliance" para captação de crédito, seguro agrícola, técnica, efetividade, responsabilidade, entre outros, que se vislumbra.

    1
  • Cezar Antônio carniel cacique doble - RS

    Muito certo... A maioria dos agrônomos são treinados para empurrar produto, ao invés de serem nossos parceiros... Nota dez prá vocês...

    0