Relatório do USDA na 4ª feira pode trazer área de soja menor do que a estimada no Outlook Fórum

Publicado em 29/03/2021 16:03 e atualizado em 29/03/2021 16:52 3773 exibições

LOGO nalogo

O mercado de grãos nesta semana está focado no boletim que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), o Prospective Plantings, que traz as primeiras projeções oficiais para a área de plantio da safra 2021/22. E todas as estimativas de consultorias privadas indicam um aumento expressivo destinado à soja e ao milho. Este é o primeiro boletim que trará dados coletados junto dos produtores e, dessa forma, tendema trazer um cenário mais próximo da realidade do que pode se confirmar nesta nova temporada. 

Os números que chegam nesta quarta-feira, 31 de março, deverão apresentar diferenças em relação aqueles que foram apresentados em fevereiro, durante o USDA Agricultural Outlook Forum, quando o departamento trouxe apenas suas primeiras impressões sobre a nova safra. Serão considerados pelos agricultores neste momento, inclusive os primeiros indicativos do clima para o plantio que, no caso do milho, já foi iniciado mais ainda se desenvolve de forma bastante tímida. 

O gráfico abaixo, com dados do USDA compilados pela analista internacional de commodities Karen Braun, mostra a diferença entre os números reportados no fórum e no final de março nos últimos 16 anos. Nas barras cinza, o milho e, nas azuis, a soja. 

Plantio 2021/22 EUA - Fórum USDA x Prospective Plantings

Como explica Braun, os números do milho, tradicionalmente, ficam mais próximos ao apresentado no fórum, do que os da soja. "Os analistas também tendem a prever mais área de soja no Prospective Plantings do que o USDA sugere em suas perspectivas no fórum. O ano passado contrariou essa tendência e a estimativa do mercado estava abaixo do número do USDA", diz. 

MILHO X SOJA

O portal Farm Futures, um dos mais tradicionais do agronegócio norte-americano, divulgou os resultados de sua pesquisa sobre intenção de plantio e estima a área de milho em 37,88 milhões de hectares (93,6 milhões de acres). Na análise de Karen Braun, a média das estimativas é de 37,72 milhões de hectares (93,208 milhões de acres), em um intervalo de 37,23 milhões e 38,24 milhões de hectares (92 a 94,5 milhões de acres). 

No Outlook Forum, o USDA sinalizou uma área destinada ao cereal de 37,23 milhões de hectares (92 milhões de acres). E na safra 2020/21, a área foi de 36,75 milhões de hectares (90,82 milhões de acres). 

Para a soja, a Farm Futures projetou uma área de 35,82 milhões de hectares (88,51 milhões de acres). Entre as estimativas levantadas por Braun, a média é de 36,42 milhões de hectares (89,99 milhões de acres), com as projeções variando entre 34,84 e 37,07 milhões de hectares (86,1 e 91,61 milhões de acres).

Para a oleaginosa, o USDA, há um mês, estimou a nova área de soja nos EUA em 36,42 milhões de hectares, bem em linha com a média das expectativas do mercado. Há um ano, a área norte-americana ficou em 33,63 milhões de hectares. 

Qual será a opção do produtor norte-americano? Em jogo agora não estão só as questões econômicas e de preços - onde ambas as culturas, atualmente, sinalizam bons resultados - mas também as questões agronômicas. "Já podemos ver que o intervalo das expectativas é bastante amplo para soja e milho, para o algodão um pouco menos. Então, haverá bastante volatilidade", explica o analista de mercado Eduardo Vanin, da Agrinvest Commodities. 

O clima começa a ganhar cada vez mais espaço no radar dos traders e sinaliza um cenário positivo neste início de temporada, o que inclusive, em termos de temperaturas e níveis de água no solo, influencia os produtores americanos a tomarem sua decisão neste momento para um pouco mais de milho do que foi apresentado no fórum e como sinalizam as expectativas do mercado.

Há pontos, porém, onde o clima exige um pouco mais de atenção e poderia fazê-los repensar. 

"A expansão da área plantada com milho pode pesar sobre os preços no curto prazo, mas não há muito espaço para erro neste ano. A seca já é proeminente nas Dakotas, onde a área plantada com milho deve aumentar este ano", explicam os analistas da Farm Futures.

Por outro lado, a consultoria acredita ainda que o aumento estimado para a área de soja pde ser insuficiente para equilibrar este mercado, onde a demanda já supera a produção e leva os estoques norte-americanos a seus menores níveis dos últimos anos. Afinal, as estimativas do mercado indicam uma área destinada à soja menor do que o USDA estimou no mês passado. E confirmada, poderiam resultar em uma relação estoque x consumo de soja nos EUA ainda mais apertada, já que os estoques iniciais desta temporada 2021/22 deverão ser historicamente apertados. 

A imagem a seguir mostra a diferença entre os preços da soja e do milho, considerando os contratos soja novembro/21 eo milho dezembro/21, ambos na Bolsa de Chicago, e mostram os momentos do mercado - de acordo com essas diferenças - que se mostram mais favoráveis à oleaginosa ou ao grão. Nos 2,50, mercado mais favorável à soja, nos 2,30, ao milho. 

Disputa Soja x Milho - Área de plantio 2021/22

Fontes CBOT e Eikon

"Os preços responderam de forma bastante positiva ao aperto nos estoques de grãos no ano passado. Embora a expansão de uma área plantada reduza o espaço de alta para preços, a demanda global e  interna por grãos dos EUA pode manter a alta. Por quanto tempo, ninguém pode dizer", complementam os analistas da Farm Futures.

PRODUÇÃO E ESTOQUES FINAIS

A Farm Futures ainda trouxe suas primeiras projeções de produção e estoques finais para a soja e o milho na próxima safra americana, considerando uma média de produtividade para ambas as culturas. 

Para a soja, considerando um rendimento média de 56,93 sacas por hectare (50,8 sacas por acre), a produção deveria alcançar 121,4 milhões de toneladas (4,451 bilhões de bushels) e os estoques finais devem ficar em impressionantes 1,96 milhões de toneladas (71,9 milhões de bushels). 

"Isso se traduz em 6 dias de carryout e uma nova relação recorde de estoque / consumo restrito de 1,6%", afirma a consultoria americana.

Sobre o milho, com a média de produtividade ficando na casa de 187,77 sacas por hectare (179,5 sacas por hectare), a safra americana fica estimada em 391,51 milhões de toneladas (15,413 bilhões de bushels), com estoques finais em 46,1 milhões de toneladas (1,815 bilhão de bushels). 

ÁREA DE TRIGO

Para a área de trigo, as expectativas do mercado variam de 17,4 a 18,78 milhões de hectares (43 a 46,1 milhões de acres), com média de 18,2 milhões (44,97 milhões de acres). No Outlook Forum, em fevereiro, o USDA estimou uma área destinada ao grão de 18,21 milhões de hectares (45 milhões de acres), e no ano passado foram semeados 17,95 milhões de hectares (44,349 milhões de acres).  

Tags:
Por:
Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário