Preço FOB do açúcar salta mais de 60% no ano, vê S&P Global Platts

Publicado em 16/04/2021 11:44 e atualizado em 16/04/2021 15:19 145 exibições
Valorização ocorre em meio às preocupações com a nova safra no Centro-Sul do Brasil, impactada pelas condições climáticas

LOGO nalogo

​O preço FOB (Free On Board, no qual a responsabilidade do embarcador termina no despacho das mercadorias) do açúcar posto em Santos acumula neste ano de 2021 uma alta de 62,92% e valorização de 6,64% na última semana, fechando no dia 15 de abril em US$ 16,39 c/lb para entrega em maio, segundo avaliação da S&P Global Platts.

A valorização ocorre em meio às preocupações com a nova safra no Centro-Sul do Brasil, impactada pelas condições climáticas. O contrato maio/2021 do açúcar na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) subiu mais de 10% entre o dia 1º de abril, quando começou oficialmente a temporada 2021/22 de cana-de-açúcar no Centro-Sul, até ontem (15).

É consenso do mercado uma safra menor de cana-de-açúcar no Centro-Sul. No entanto, algumas pesquisas mostram que mesmo com uma menor quantidade de cana a produção destinada para açúcar na região ainda poderia alcançar cerca de 36 milhões de toneladas.

A S&P Global Platts Analytics via no final de março a produção de açúcar do Centro-Sul do Brasil em 35,6 milhões de t, com uma queda de cerca de 7% ante a temporada anterior. O processamento menor do adoçante na nova safra seria possível graças a uma moagem de cana de 590 milhões de t, sobre 606 milhões de t da última safra.

"É difícil medir o tamanho da colheita nos primeiros 15 dias da safra. Portanto, qualquer volatilidade forte, como a observada nos últimos três dias no contrato futuro de açúcar NY11, tem maior probabilidade de estar refletindo um movimento técnico, onde corretoras e fundos de hedge estão mudando suas posições", destaca a S&P Global Platts.

Nas análises da S&P, a produção de etanol também teria reflexos com uma safra menor de cana no Brasil. A tendência é de que a nova temporada seja mais açucareira, com produção de etanol no Centro-Sul de 25,8 bilhões de litros, uma queda de 2 bilhões de l ante o ano anterior que só não é maior por conta do biocombustível de milho.

"Somando-se à perspectiva de escassez doméstica, o Brasil dificilmente importará grandes volumes de etanol anidro em 2021, já que a forte desvalorização da moeda local em relação ao dólar americano manteve a arbitragem de importação dos Estados Unidos fechada desde agosto de 2020", destaca a fornecedora de informações sobre energia.

O preço do etanol hidratado convertido em açúcar bruto, em 15 de abril, tinha equivalência de US$ 14,15 c/lb, com um abatimento de 224 pontos ou US$ 49,38/t para exportação de açúcar, segundo análises da S&P.

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário