Açúcar testa máximas de mais de 3 semanas em NY seguindo petróleo

Publicado em 14/04/2021 15:23 e atualizado em 15/04/2021 15:07 96 exibições
Mercado também seguiu atento durante o dia para informações recentes do Brasil e França

LOGO nalogo

​O mercado do açúcar encerrou a sessão desta terça-feira (13) com máximas de mais de três semanas na Bolsa de Nova York e mais de duas em Londres. A valorização nas cotações acompanhou uma disparada do petróleo com expectativas da demanda, além de informações da França e Brasil.

O principal vencimento do açúcar na Bolsa de Nova York fechou o dia com valorização de 2,45%, cotado a US$ 15,88 c/lb, com máxima de 15,95 c/lb e mínima de 15,56 c/lb. O tipo branco em Londres registrou alta de 2,99%, negociado a US$ 443,70 a tonelada.

Pelo segundo dia seguido, as cotações do açúcar avançaram nas bolsas externas, com máximas de semanas, acompanhando uma disparada de cerca de 5% do petróleo no cenário internacional. Além disso, segue a atenção para as perdas da safra francesa e menor moagem quinzenal no Brasil.

"A força do petróleo pode encorajar as usinas de açúcar do Brasil a desviarem maior moagem de cana para a produção de etanol em vez da produção de açúcar, reduzindo assim o fornecimento de açúcar", destacou a consultoria Barchart em nota de mercado no dia.

Cana-de-açúcar - Foto: Unica
Mercado ainda segue atento para informações da França e moagem quinzenal do Brasil - Foto: Unica

Além disso, nesta semana, a França, maior produtora de açúcar da União Europeia, anunciou que a safra de beterraba sacarina recém-plantada do país deve ter perdas de até 50 mil hectares, a pior já registrada na história do país.

Também houve danos em outras culturas, como pomares de frutas.

O mercado seguiu atento no dia para a divulgação da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) de que as usinas do Centro-Sul do Brasil produziram 23% a menos de açúcar na segunda quinzena de março no comparativo anual. O número é reflexo de um início de safra lento.

Mercado interno

A terça-feira foi marcada por ganhos nos preços do açúcar comercializado no Brasil. O Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, subiu 0,40%, a R$ 105,67 a saca de 50 kg.

Já no Norte e Nordeste do Brasil, o açúcar ficou estável, a R$ 114,01 a saca, segundo dados da Datagro.

O açúcar VHP, em Santos (SP), tinha na última sessão o preço FOB cotado a US$ 16,81 c/lb, com valorização de 0,50% sobre o dia anterior.

» Clique e veja as cotações completas de sucroenergético

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário