Publicidade

Crescimento da indústria da China recua para mínima em 15 meses em julho, mostra PMI do Caixin

Publicado em 02/08/2021 08:10 69 exibições

Logotipo Reuters

PEQUIM (Reuters) - O crescimento da atividade industrial da China enfraqueceu com força em julho uma vez que a demanda contraiu pela primeira vez em mais de um ano, em parte devido aos preços altos de produtos, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

O PMI de indústria do Caixin/Markit para a China caiu a 50,3 no mês passado de 51,3 no mês anterior, nível mais baixo desde abril de 2020.

Analistas consultados pela Reuters esperavam que o índice caísse para 51,1. A marca de 50 separa crescimento de contração.

A economia chinesa se recuperou dos problemas causados pela pandemia do coronavírus, mas enfrentou nos últimos meses novos desafios como custos mais altos de matéria-prima, o que pesou sobre o crescimento dos lucros em empresas industriais em junho.

Publicidade

Os resultados mais fracos na pesquisa privada, que cobre principalmente indústrias pequenas e orientadas para exportação, ficaram em linha com os do levantamento oficial divulgado no sábado e que mostrou crescimento da atividade no ritmo mais lento em 17 meses.

"A economia ainda enfrenta enorme pressão negativa", disse Wang Zhe, economista sênior do Caixin Insight Group, em comentários divulgados junto com os dados. Os altos preços dos produtos reduziram a demanda, especialmente para bens ao consumidor e bens intermediários, disse Wang.

O subíndice de novas encomendas registrou contração pela primeira vez desde maio de 2020, enquanto o subíndice de produção recuou para o ritmo mais lento de expansão desde março do ano passado.

(Reportagem de Gabriel Crossley)

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • Rodrigo Polo Pires

    O que a Reuters não conta nem a pau é que o PCC, partido comunista chines, está bloqueando investimentos estrangeiros na china. Existem rumores até de que o PCC andou afirmando que os investidores estrangeiros não são donos das empresas dentro da china. E tem quem ouve e lê uma porcaria dessas.

    9
    • Edmundo Taques Ventania - PR

      O que dizer?? O sr. Rodrigo está certo e em vários aspectos. Vamos começar pela Reuters: Toda vez que leio uma reportagem da Reuteurs fico com a orelha em pé, suas matérias sempre tem um tom baixista, como se tivesse sido patrocinada. Na presente matéria ela coloca como "causa" do baixo crescimento na economia Chinesa o fato das matérias primas estarem caras, é pode até ser, mas principalmente a Reuters omite que a China interferiu fortemente no mercado, no caso das comodities agrícolas proibindo a movimentação desses papeis dentro de seu pais sob a pecha de forte especulação. Nas ultimas semanas interferiu fortemente, através de lei, no mercado de ensino privado na China fazendo ações desse tipo de mercado simplesmente deixarem de existir do dia pra noite no mercado mundial e como consequência dessa insegurança jurídica as ações de tecnologia desabarem!! Portanto por a culpa apenas no aumento do custo é articulação de principiante ou pior, coisa de gente mal intencionada e paga. Para mim eu considero a grande maioria das reportagens da Reuters, como as pesquisas da Datafolha, sempre direcionada, nunca traduzindo a realidade e com finalidade escusa. Por fim cabe lembrar a Reuters que aumento de custo sempre é uma faca de dois gumes, os fertilizantes no Brasil, cuja grande maioria é produzida na China, tiveram um incremento de preço de cerca de 100%, sob a pecha de menor produção na geração de matéria prima o que aumentou seu custo e consequentemente o aumento no preço final do produto, pelo menos é o que dizem. Mas sobre isso não houve um simples artigo alertando que, talvez, o tal crescimento alardeado da área prevista para o plantio da safra verão aqui não ocorra da maneira que estão prevendo ou que caso ocorra, o nível de tecnologia usado nas lavouras não seja o adequado (principalmente nas áreas novas) tendo em vista o custo da lavoura. Eu e meu irmão, particularmente, nos debruçamos sobre os mapas de analise dos solos e mudamos algumas formulações e quantidade de adubos nessas áreas tendo em vista o alto custo. Acredito que outros produtores devem ter feito o mesmo. Afirmar categoricamente que o Brasil irá sem duvida produzir 144 milhões de toneladas na safra que vem é no mínimo temerário!! Mas vocês sabem como funciona não é? A quem interessa lança isso na mídia, através de empresas como a Reuters e o resto fica repetindo isso exaustivamente como se fosse um mantra. Raciocinar isso ou mesmo a grande quebra a nível mundial do Trigo (22%), as quebras no milho daqui, na China e toda dificuldade climática que os Estados Unidos estão tendo, nem pensar!!! Portanto meus amigos, sugiro a vocês a analisar e dar a credibilidade que se merece as noticias da Reuters, no meu caso sempre o mínimo como esta alertando o nobre colega Rodrigo, porque sem analisar e propagar o interesse de quem pagou por esta noticia já tem um monte na mídia. Não esperem que eles façam isso por vocês, porque eles não vão, façam isso por vocês mesmos. Abs a todos e fiquem com Deus.

      8
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      SR. EDMUNDO TAQUES, a China quando ela não é a principal consumidora, é a principal produtora.</p><p>Mas quanto à produção de fertilizantes acho que ela é a principal produtora dos fertilizantes nitrogenados. Para produzi-los tem que queimar gás natural ou outra fonte de energia e, injetar ar dentro da coluna, onde o gás Nitroso NO2, presente no ar que respiramos, passa para o estado sólido, conhecido por todos (URÉIA). </p><p>O detalhe que a capacidade de produção instalada, só altera se você &quot;fecha a torneira&quot; pois, o ar está aí à disposição. </p><p>A China é um país em que o sistema de governo é totalitário. Imagine um domínio central que &quot;mexe&quot; com a demanda &amp; oferta a níveis mundiais. É UMA BRIGA DE CACHORRO GRANDE !!!</p><p>O MAURICIO BELLINELO, disse ao seus alunos que a China estava desacelerando suas atividades e, isso iria causar uma queda generalizada em todas as commodities (agrícolas, metálicas e energéticas).</p><p>QUEM VIVER VERÁ !!!

      1
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Com um detalhe importantíssimo os níveis de preços atuais das commodities estão quase todos nos picos históricos ... ENTÃO ... SE O MAIOR CONSUMIDOR DIMINUIR SEU CONSUMO A OFERTA FICARÁ MAIOR QUE A DEMANDA ... LOGO ... !!!!

      1
    • Edmundo Taques Ventania - PR

      Entendo perfeitamente Sr. Paulo, mas como diz o ditado: &quot;Só falta combinar com os russos&quot; ou seja só falta convencer a tigrada de 1 bilhão e meio de Chineses que eles vão ter que ganhar menos e consequentemente comer menos também!! Em um regime totalitário não me parece ser uma solução viável e estável, mas isso pouco importa porque quem manda lá é p PCC. Abs e fiquem com Deus

      4