Milho: B3 começa a terça-feira com contratos em leves altas

Publicado em 08/06/2021 09:10 e atualizado em 08/06/2021 11:52 555 exibições
Chicago sustenta elevações após reportes do USDA sobre safra dos EUA

LOGO nalogo

A terça-feira (08) começa com os preços futuros do milho subindo na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam movimentações positivas entre 0,20% e 0,88% por volta das 09h14 (horário de Brasília).

O vencimento julho/21 era cotado à R$ 95,29 com elevação de 0,20%, o setembro/21 valia R$ 97,70 com alta de 0,36%, o novembro/21 era negociado por R$ 99,08 com ganho de 0,49% e o janeiro/22 tinha valor de R$ 101,39 com valorização de 0,88%.

Para o analista de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, segue existindo uma dúvida gigantesca sobre o que vem nesta safra, com produtores recuperando suas lavouras com as últimas chuvas e outros contabilizando perdas irreversíveis.

“O produtor precisa ficar com cautela porque as grandes indústrias do setor estão fazendo muitos contratos com o trigo para receber em outubro e novembro para ração. A demanda no segundo semestre deve ser de 40 milhões de toneladas de milho e a produção ainda está muito vaga”, diz Brandalizze.

Mercado Externo

A Bolsa de Chicago (CBOT) abriu o dia estendendo os ganhos acumulados no início da semana para os preços internacionais do milho futuro. As principais cotações registravam movimentações positivas entre 0,75 e 8,50 pontos por volta das 09h01 (horário de Brasília).

O vencimento julho/21 era cotado à US$ 6,80 com alta de 0,75 pontos, o setembro/21 valia US$ 6,28 com elevação de x7,25xx pontos, o dezembro/21 era negociado por US$ 6,11 com valorização de 8,25 pontos e o março/22 tinha valor de US$ 6,17 com ganho de 8,50 pontos.

Segundo informações do site internacional Successful Farming, os grãos aumentaram durante a noite, já que as condições da safra semanal caíram mais do que o esperado nos Estados Unidos.

Cerca de 72% da safra de milho dos EUA estava em boas ou excelentes condições até o último domingo, abaixo dos 76% da semana anterior, disse o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) em um relatório.

Pouca ou nenhuma chuva caiu em grande parte do Meio-Oeste nos últimos sete dias, de acordo com o Serviço Meteorológico Nacional.

“Os mapas mostram que apenas partes da Dakota do Norte, oeste do Kansas e norte do Wisconsin registraram precipitação na semana passada. O restante do meio-oeste ao norte de Indiana e grande parte de Michigan têm sido extremamente secos, mostram os mapas do NWS”, relata o analista Tony Dreibus.

Relembre como fechou o mercado na última segunda-feira:

+ Milho: incerteza sobre safrinha continua e B3 ronda os R$ 100,00

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário