Coopercitrus se destaca por boas práticas de ESG

Publicado em 08/03/2021 10:05 120 exibições
Cooperativa inova na gestão, implementa governança corporativa, intensifica atuação com foco na sustentabilidade e eleva índice de confiança junto aos cooperados e ao mercado.

Com a profissionalização de sua gestão e implementação da estrutura de Governança Corporativa, além dos investimentos na área social e ambiental, a Coopercitrus vem se destacando por suas boas práticas de ESG. A sigla, do inglês Environmental, Social and Governance, ou meio ambiente, social e governança, (ASG, em português), tem ganhado evidência no mundo corporativo e desponta como uma das principais tendências do mercado para 2021.

A Coopercitrus tem em seu DNA a atuação social e ambiental, inerentes ao sistema cooperativo e à atuação junto a produtores rurais. Segundo o vice-presidente do Conselho Administrativo, Matheus Kfouri Marino, nos últimos anos, a cooperativa vem adotando medidas para otimizar sua gestão com foco na Governança.

O intuito é promover a sustentabilidade de seus negócios e manter um relacionamento cada vez mais transparente com seus cooperados, colaboradores e parceiros. Paralelamente, com a criação da Fundação Coopercitrus Credicitrus, ampliou seus investimentos em projetos voltados para a educação, pesquisa e meio ambiente. "Investir em uma Governança Corporativa sólida proporciona a evolução contínua na estrutura de controle, mitiga os riscos e garante longevidade aos negócios. O objetivo é oferecer segurança aos cooperados, aumentar a transparência e a confiança", ressalta Marino.

Para o gerente de Governança da Coopercitrus, Nicolas Merchiori, a Governança Corporativa, bastante comum em empresas de capital aberto, é visto como uma ferramenta de garantia de confiabilidade da gestão de uma cooperativa. "A Coopercitrus busca estar na vanguarda, atendendo sempre às expectativas do seu cooperado. Esse processo de implementação da Governança começou há alguns anos, com a cisão entre o conselho de administração e a gestão executiva e vem ganhado corpo, agora com um departamento focado na implementação e monitoramento das políticas de governança", explica Merchiori.

Hoje, o Departamento de Governança Corporativa conta com 16 profissionais que acompanham e integram as áreas de auditoria interna, controles internos, gestão de ativos, sustentabilidade e gestão de riscos e compliance. A cooperativa está preparando um relatório de sustentabilidade referente ao resultado alcançado em 2020, pautado nas normas GRI (Global Reporting Institute), com previsão de lançamento em março de 2021.

A estrutura de gestão da cooperativa é composta pelo Conselho Administrativo, Diretoria Executiva e Comitês. O Conselho Administrativo é composto por 12 produtores rurais cooperados de diversos segmentos, entre pecuaristas, produtores de hortifrúti, grãos, cana-de-açúcar e citros, com atuação de destaque em suas atividades. A Diretoria Executiva é composta por profissionais com vasta experiência em diferentes segmentos do agronegócio e mercado financeiro.

Responsabilidade ambiental e desenvolvimento socioeconômico

A Fundação Coopercitrus Credicitrus, criada em 2019, é a materialização das iniciativas ambientais e sociais da cooperativa. Localizada em Bebedouro, SP; a entidade sem fins lucrativos visa o desenvolvimento dos seus cooperados e da comunidade no entorno, contando com parceiras para viabilizar grandes projetos.

A educação é um dos pilares da atuação da Fundação Coopercitrus Credicitrus, como forma de fortalecer o desenvolvimento social sustentável da comunidade. Por meio da parceria com o Centro Paula Souza, a Fundação viabilizou a implantação do curso Técnico em Agronegócio pela Etec, iniciado em 2020, e o curso Superior em Big Data pela Fatec, previsto para o segundo semestre de 2021.

Na visão de Matheus Kfouri Marino, a educação é uma das estratégias para promover a transformação social, formando capital humano capacitado e especializado para o setor agropecuária. Tal propósito foi abraçado por renomados parceiros da cooperativa, que investiram mais de R$5 milhões na construção do prédio educacional, localizado na Fundação, que abrigará as aulas, cursos e capacitações aos profissionais do agro. "Os investimentos na profissionalização e na capacitação de pessoas para atuarem no agronegócio são ações que retornarão na forma de desenvolvimento para o agro, na inovação para nossos cooperados e na geração de empregos, com impactos positivos na sociedade. Os resultados virão em um longo prazo, mas serão perenes", analisa Marino.

No aspecto ambiental, a Fundação Coopercitrus Credicitrus realiza projetos de recuperação de florestas e restauração de minas degradadas. Para apoiar o produtor rural no reflorestamento de áreas de preservação permanente, mantém um viveiro com mais de 169 mil mudas de 83 espécies florestais, que são direcionadas para projetos de reflorestamento, para recomposição de áreas ou para o plantio de florestas comerciais. Estas mudas abastecem o Projeto Cooper Semear e o Projeto Mata Viva, que atuam no apoio técnico para reflorestamento de áreas de reserva legal e APP (Área de Preservação Permanente) das propriedades rurais dos cooperados.

O Projeto Olho D’Água, realizado em parceria com a empresa Nortox, tem como foco a preservação e recuperação de minas e nascentes dentro das propriedades rurais, contribuindo com o aumento da disponibilidade de água e da biodiversidade. Desde o início do projeto, em 2019, até janeiro de 2020, 63 nascentes foram recuperadas em propriedades no interior do estado de São Paulo, o que contribuiu para o aumento da capacidade hídrica para cerca de 1,6 milhão de litros de água por dia e gerou um aumento de quase mil vezes na disponibilidade de água às propriedades rurais e comunidades do entorno.

Ainda na área ambiental, a Coopercitrus é referência nacional na logística reversa de embalagens de defensivos agrícolas, por meio do Sistema Campo Limpo, iniciativa do InpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias. Em todas as suas unidades, a cooperativa possui pontos de coleta de embalagens vazias, cinco postos em Limeira, Mogi Mirim, Jales, Pirassununga e Barretos, SP; e mantém duas centrais de recolhimento, em Bebedouro e em Catanduva, SP; onde recebem as embalagens, separa os materiais por tipo de plástico, faz a limpeza, a prensagem e o envio à empresa de reciclagem. Em 2020 foram recolhidas mais de 600 toneladas de embalagens plásticas pela Coopercitrus.

Tags:
Fonte:
Assessoria de Comunicação

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário