Publicidade

Café tem dia de correção nos preços e NY encerra com queda de 600 pontos

Publicado em 27/07/2021 17:13 431 exibições
Aqui no Brasil, setor segue apreensivo com o risco de nova geada no parque cafeeiro

Logotipo Notícias Agrícolas

O mercado futuro do café arábica encerrou as negociações desta terça-feira (27) com ajustes nos preços na Bolsa de Nova York (ICE Future US). "Os preços do café fecharam em forte queda na terça-feira, já que uma redução dos riscos de geada no Brasil gerou uma longa pressão de liquidação", destacou a análise do site internacional Barchart. 

Setembro/21 teve queda de 605 pontos, negociado por 201,75 cents/lbp, dezembro/21 teve baixa de 610 pontos, valendo 204,60 cents/lbp, março/22 teve queda de 605 pontos, valendo 206,55 cents/lbp e maio/22 registrou baixa de 590 pontos, valendo 207,20 cents/lbp. 

A análise comenta ainda que de de acordo com a Paragon Global Markets, uma frente fria que deve chegar à região de Minas Gerais no Brasil neste fim de semana será precedida por uma cobertura de nuvens, que evitará que as temperaturas caiam abaixo de zero e diminuirá o risco de desenvolvimento de geadas. 

Aqui no Brasil, no entanto, o setor cafeeiro segue apreensivo com o avanço do sistema. Se o frio se confirmar com essa intensidade toda, pode acontecer um desastre na produção do ano que vem", afirma José Marcos Rafael Magalhães, presidente da Minasul. Os dados cooperativas, uma semana após a geada, estima ainda que o frio intenso deve comprometer, pelo menos, 30% da safra 22 de café. 

Apesar da baixa, analistas ouvidos pelo Notícias Agrícolas, afirmam que a queda já era esperada, considerando que o mercado subiu expressivamente na última semana. Além disso, afirmam que o cenário já era de preços firmes para o café se consolidou com o evento climático da última semana.  

Na Bolsa de Londres, o café tipo conilon acompanhou e também encerrou com baixas. Setembro/21 teve queda de US$ 37 por tonelada, valendo US$ 1927, novembro/21 teve desvalorização de US$ 35 por tonelada, cotado a US$ 1940, março/22 teve queda de US$ 38 por tonelada, valendo US$ 1915 e maio/22 teve baixa de US$ 41 por tonelada, valendo US$ 1908.

No Brasil, o mercado físico teve um dia de leves baixas nas principais praças de comercialização do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve queda de 1,34% em Patrocínio/MG, negociado por R$ 1.105,00, Poços de Caldas/MG teve queda de 0,95%, cotado a R$ 1.040,00, Franca/SP teve queda de 2,73%, valendo R$ 1.070,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 1.077,00, Araguarí/MG por R$ 1.150,00 e Varginha/MG por R$ 1.120,00.

O tipo cereja descascado teve queda de 0,91% em Poços de Caldas/MG, negociado por R$ 1.090,00 e Patrocínio/MG teve queda de 0,43%, valendo R$ 1.155,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 1.130,00, Varginha/MG por R$ 1.170,00 e Campos Gerais/MG por R$ 1.137,00.

>>> Veja mais cotações aqui
 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário