Fala Produtor

  • Othmar Heleno Rempel Cascavel - PR 29/04/2021 15:01

    GLPX, não é do Eike Batista? se é, é complicado.

    0
  • nelson jose camolesi bauru - SP 29/04/2021 14:58

    Com o milho a aproximadamente R$ 100,00, temos a ton a R$ 1.666,66, o que dá R$ 1,66 por kilo. Na conta de 13,09 kg de milho por kg de boi gordo: 13,09 x R$ 1,66 = R$ 21,73 o que resulta em uma arroba de boi gordo de 30xR$ 21,73 = R$ 651,88 ??????????. Fonte CEPEA???????

    1
  • Luiz Ribeiro Villela São Paulo - SP 29/04/2021 14:25

    SÓ PODIA MESMO TER COMO FONTE A REUTERS.!

    3
  • Carlos Alberto Erhart Sulina - PR 29/04/2021 07:16

    Aqui na minha região a seca está tão severa que tenho áreas em que deu apenas uma ou duas chuvas no milho safrinha, e como semeei a braquiaria a lanço depois de uns 15 dias da emergência do milho, essa não germinou..., alguém sabe me informar se nesse caso consigo o Proagro? Porque pelo andar da carruagem, acho que não vou colher nada!

    0
    • Paulo Roberto Espires Maringá - PR

      Sr. Carlos... Se voce financiou, deveria constar no projeto o consorcio com Braquiaria... eu planto há dez anos e me utilizo do Banco do Brasil onde faço meu custeio... anos atras consultei o engenheiro do banco e ele disse que nao haveria problema de ter plantado sem estar no projeto,... quanto ao plantio, se foi a lanço o mais comum seria ter plantado 15 dias antes de ter colhido a soja ... eu planto a braquiaria junto com o milho ...uso a yakeda na frente do trator!!

      1
    • leandro carlos amaral Itambé - PR

      Se essa braquiária nasce, mata ela, aí vão arruma todo tipo de desculpa pra ferra com nós...pois o estouro vai se grande...

      0
    • Marcos Paulo Dambros Itapejara D´Oeste - PR

      Carlos, sou agronomo e trabalho com Astec aqui em Itapejara D´Oeste, nosso clima é complicado, então o correto é jogar a lanço junto com a uréia mesmo, após a germinação do milho, pois diferente do norte do PR, MS e MT, la é clima quente, o milho seca rapido, aqui nos somos mais frios,... se plantar a braquiaria antes do milho, lá na frente só vai ter braquiaria e nada de milho, pois leva 170 dias pro nosso milho secar.... Ja quanto ao proagro, como perito que sou, se tiver a nota da semente, ta tudo certo, pois não choveu mesmo pra germinar ela.

      0
    • Hilario Bussolaro Cascavel - PR

      A planta de milho safrinha que eu saiba só tem cobertura pelo seguro particular esse ano foi aumentado o zoneamento para plantio com consórcio de braquiaria, mais uma idiotice das grande o de alguém já viu braquiaria salvar milho de geadas, ainda querem tornar o Brasil saleiro do mundo, poderiam explicar isso pra nos, no ms e mt até concordo em áreas de areia pode ajudar muito mas no para e sul não vejo utilidade alguma, mas como não sabemos o que se passa aguardamos uma explicação lógica

      9
    • Carlos William Nascimento Campo Mourão - PR

      Também não entendi porque plantando braquiária tem mais tempo para plantar milho com seguro. Hoje assisti uma previsão do tempo que dizia que teremos chuvas somente no dia 29 de maio. Sendo assim, estaremos falando de 100% de perdas na safrinha. Na época do plantio, uma revenda de insumos aqui do oeste do Paraná estava fazendo propaganda ou agenciando uma seguradora de lavouras. Certamente ganhando uma comissão, que é o outro nome do capeta. Pois bem, pedi para um amigo que trabalha com mercado de capital pesquisar a seguradora. Ela é nova, foi fundada por ex diretores de uma outra seguradora que saiu do Brasil. Tem capital social de 30 mi de reais. Oferecia cobrir 180 sacas por alqueire a R$80,00 a saca. Isso equivale a R$ 14.400,00 . O capital social dela cobre 2.083 alqueires. Só num pequeno município sei ela segurou o dobro disso. Lembram da COSESP? Será que a revenda de insumos que agenciou pode ser responsabilizada? Aguardem fortes emoções nos próximos capítulos...

      1
    • Luiz aurelio grigio Cafelandia - PR

      acho q os tecnicos devem ter feito um estudo muito aprofundado em relaçao ao plantio de braquiaria condicionado ao seguro . e pra acaba com o cheque do leite

      0
    • Hilario Bussolaro Cascavel - PR

      Sim, a braquiaria e muito útil ... é uma das ferramentas de descompactação mais eficaz, se vc conseguir deixar por dois anos o enraizamento é fantástico , no ms e mt e demais áreas arenosas eu até entendo a cobertura para ajudar nos veranicos, agora aumentar o zoneamento agricola no sul, onde o maior problema são as geadas, ai nao vejo lógica e alguma explicação para isso...

      2
  • Maria Silva doring Piracicaba - SP 28/04/2021 19:29

    Olá, acho que vocês falam muito pouco do interior de São Paulo, ... temos muitas lavouras e quase nunca tem notícias de chuvas, aqui região de Piracicaba estamos sofrendo muito com a seca, mas nunca temos informações.

    2
  • Gilberto Rossetto Brianorte - MT 28/04/2021 14:52

    Diz a noticia:... "Já no Mato Grosso, apesar da precipitação abaixo da média, choveu praticamente todos os dias nos meses de março e abril (até 25/4), o que permitiu melhor desenvolvimento das lavouras"... Rapaz, isto é mais falso que nota de R$-30,00.

    Até final do mês de março realmente choveu bem. Mas no mês de abril, se muito choveu 2 ou 3 dias e com volumes insignificantes. No médio norte de MT, grande parte das lavouras estão se perdendo, difícil é encontrar um agricultor que não contabiliza perdas.

    O pior que não informar é: informar mal.

    Comentário referente a notícia: Seca afeta maioria das lavouras de milho safrinha
    0
    • Adalberto José Munhoz Campo Mourão - PR

      Bom dia corretíssimo sua colocação tem analista afirmando que tá tudo normal no MT com produção excelente num país continental como o nosso tem que ter cuidado pra fazer análise de mercado e produção!

      0
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC 28/04/2021 14:20

    Pessoal, tem uma coisa bem séria que tenho falado a tempos aqui. O grande erro dos relatórios da Conab sobre o milho safrinha desse ano foi de não ter considerado o enorme risco climático de uma safra plantada fora do periodo recomendado. Não houve nenhuma ressalva nos relatórios, nenhum alerta sobre a maior probabilidade de ocorrer estiagem e prejudicar, e muito, o cultivo do milho. A Conab não considerou isso, mas o mercado de futuros sim. E aconteceu o pior, aqui já ouvi até uma boa piada de que ano passado a média do milho foi 87 e foi vendido a 35, e esse ano vai ser a média 37 com preço de 87. Não há portanto o que comemorar, não é bom para os produtores e não é bom para o país.

    2
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC 28/04/2021 14:11

    No meu tempo de criança em Santo Augusto, houve no regime militar um troço chamado adubo papel..., nunca esqueci, a prova definitiva e cabal de que os produtores rurais são uns anjos de candura. Muita gente honesta é verdade, mas tem cada um que não serve nem prá encher linguiça. Aqui há uns doze ou treze faladores. A propósito, a soja depois de bater 35 dólares ontem na B3, hoje chegou a ficar abaixo de 29, deitem falação...faladores.

    7
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC 28/04/2021 12:22

    Eu estou achando no minimo curioso que os ataques estejam sendo em sua maioria ao programa do João Batista Olivi. Já li em um para-choque de caminhão... a inveja é uma merda!... Curioso é que existem diversas fontes de informação em vários canais...por que essa gente que detesta as analises do amigo Brandalizze não sai daqui? Vão para outro lugar mais adequado aos posicionamentos de voces, é bem simples.

    24
  • Elvio Zanini Sinop - MT 28/04/2021 08:17

    O pequeno Agricultor que está OCUPANDO, DENTRO DAS NORMAS, a POSSE, E O RESPEITO ÀS LEIS AMBIENTAIS DAS PEQUENAS PROPRIEDADES, TEM QUE OBTER A REGULARIZAÇÃO DE SUA ÁREA , para poder exercer suas ATIVIDADES NO IMÓVEL , O QUAL É SEU SUSTENTO E DE SEUS FAMILIARES, E TAMBÉ PARA OBTER CRÉDITOS DE BANCOS PÚBLICOS.

    1
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC 28/04/2021 06:51

    O Valmir Brandalizze é um grande ANALISTA. Ele faz boas análises do mercado, mas tem muita gente procurando o Santo Grall. Em minha região o preço da soja e do milho permaneceram o mesmo durante esse tempo em que o mercado futuro foi, voltou, andou de lado. Se voce, amigo produtor, não participa do mercado financeiro, ninguém que opera contratos tira seu dinheiro, nem coloca dinheiro em sua conta. Isso tem que ficar bem claro.

    43
    • Joao Álvaro Sanvesso Ivaiporã - PR

      Rodrigo prefiro não opinar sobre a qualidade do Brandalizze como analista, mas se é isso que você acha, respeito sua opinião. Não se trata de procurar o Santo Grall, trata-se apenas de tentar repor perdas anteriores..., a maioria dos produtores que ouviram os analistas, fecharam contrato nas cooperativas a 85 - 90 reais a saca de soja e quando entregaram estava 150 reais..., os analistas são bons para quem paga para que eles procurem direcionar a tomada de decisão dos produtores que ficam apenas com as informações que eles analista permitem que tenhamos acesso. Concordo com você que ninguém que opera contrato coloca dinheiro na sua conta, mas com uma informação elaborada, tendenciosa e direcionada tiram dinheiro da sua conta. Isso é bem claro.

      8
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Eu gostaria que voce me explicasse como alguém que opera mercado futuros (participa colocando dinheiro), pode tirar dinheiro de quem não coloca dinheiro algum nesse mercado? Sobre os analistas, eles não obrigam ninguém a vender ou comprar, quem toma a decisão é o produtor. Tentar colocar a culpa nas costas de outros não ajuda em nada.

      84
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Sobre as informações João, existem vários sites que disponibilizam isso. A Abiove, a Conab, a Secex, só ter um pouco de boa vontade que é fácil consultar. Ou seja, os dados estão aí para quem quiser olhar, aliás de tanto que reclamei os dados da Secex disponibilizados publicamente melhoraram muito, e se voce me disser que analisar esses dados, secex, conab, abiove, pode gerar grande confusão, vou concordar. Querer denegrir o Valmir (que defende o melhor sistema de comercialização que existe, o sistema de médias), não me parece muito correto.

      61
    • Ronaldo Brejauba goiania - GO

      Triste ver que um site que deveria informar o produtor venha com alegorias infantis para capturar incautos. NÃO HÁ SOJA NO DISPONÍVEL ABAIXO DE 180.

      4
    • Joao Álvaro Sanvesso Ivaiporã - PR

      Sem ofensas Rodrigo, não estou querendo denegrir ninguém, assim como eu disse que respeito sua opinião sobre o analista, espero que respeite a minha.

      5
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Eu não lhe ofendi João, apenas levei ao pé da letra o inicio do seu comentário, que preferia não comentar e está implicito que não comentaria pq não saberia fazer isso sem esculhambar, e ainda emendou, se é isso que voce acha respeito...ora se voce não concorda comigo é evidente que não respeita a minha opinião, pois pensa exatamente o contrário. Isso chega a ser chato, todos que se alfabetizaram com o método Paulo Freire são assim, pensam que podem ofender quem quiser na hora que quiserem sem ouvir nada.

      76
    • Edmundo Taques Ventania - PR

      Bem o único analista que eu vi que fala da escassez de soja no mundo é o Liones Severo, inclusive ele usa o termo escassez soberana e fala disso a bem uns 3 anos. Não tenho nada contra o Valmir, considero um bom analista, mas o único que vem alertando a muito tempo essa situação que esta hoje foi o Sr. Liones Severo pelo que me lembro. Quanto ao comentário do Sr. Ronaldo Brejatuba de que não existe soja abaixo de 180, acredito que ele está se referindo ao fato que abaixo de 180 ninguém vende!! Não posso falar pelos outros mas ele esta certíssimo e tenho a mesma filosofia, depois do fumo que todos nos levamos nas vendas antecipadas o resto da soja para sair vai ter que compensar um pouco isso. Somos milhões de produtores pelo Brasil, basta criar um pouco de pressão de oferta que o preço chega lá. E digo mais se fossemos um pouco mais unidos atitudes segregatícias e coativas como criação de listas negras, contratos draconianos, entre outras medidas ridículas que vimos nos últimos meses sequer existiriam. Elas só existem porque eles acham que mandam no pedaço, cabe a nós, os produtores, nos unir e mostrar que não é assim. Abs a todos

      2
    • Luiz aurelio grigio Cafelandia - PR

      ...o problema é que existe muitas analises tendenciosas...

      0
  • Deltri Perinazzo Gurupi - TO 27/04/2021 17:21

    Sou agropecuarista e queria defender os produtores de milho e soja. Sempre defendi que o Brasil deveria vender seus produtos primários com maior valor agregado e hoje, por força das circunstâncias, isso está acontecendo. Temos que vender carne, óleo de soja, farelo, biocombustíveis, açucar, etc., produzir mais empregos, beneficiar nossos produtos, agregar valor, valorizar aquilo que produzimos... Vamos combater a falácia de que somos destruidores do meio ambiente... Ei, o mundo precisa de nossos produtos, temos que nos impor com maior firmeza, negociar no mesmo nível. Porque os países desenvolvidos não param de comprar petróleo, altamente poluente... Essa historinha de atacar a produção agrícola brasileira tem que ter um fim nisso, ... porém os culpados são os próprios brasileiros que não valorizam o produtos rural..., a imprensa fica fazendo propaganda contrária e até mesmo o governo joga contra seu patrimônio (lembra do escândalo da carne fraca). Milho tem que valer R$ 150,00 reais, soja R$ 250,00 a saca. É a hora e a vez dos produtores darem as cartas, basta de os especuladores e atravessadores ganharem dinheiro as nossas custas. Excelente explanação do Sr. Adilson Dilmar Dudeck. Parabéns...

    6
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Sr. Deltri, só gostaria de lembrar que o brasileiro médio, para não dizer pobre, não tem nada a ver com essa porcaria de código florestal e narrativas a fins contra os produtores...., o brasileiro pobre que é maioria em nosso país tem respeito não só pelos produtores, mas por todos. Quem não respeita o produtor são outros.

      8
    • Aloísio Brito Unaí - MG

      Sr Rodrigo, boa tarde! Muito bem colocado esse pensamento.... A ignorância dos mais ricos vem de suas capacidades de absorverem informações erradas sem nenhuma avaliação crítica. É, terrivelmente impressionante esse fenômeno nessa classe social brasileira, principalmente entre os mais jovens, os quais se acham altamente informados e capazes de opinar algo com apenas as informações "observadas" de títulos de fatos ou pesquisas sensacionalistas publicadas.

      Esses jovens "riquinhos" não têm a capacidade de se informar através da pesquisa por leitura profunda, para poderem ter uma avaliação crítica com competência para o tal. São manipulados facilmente por essas instituições mafiosas, as quais possuem uma maior amplitude de alcance dessas mesmas informações tendenciosas sensacionalistas com viés ideológico, sendo assim, essas instituições passam a ter maior capacidade de manipulação, desses coitados idiotas de plantão, de acordo com seus interesses promíscuos.

      6
  • Jardel Tornquist 27/04/2021 17:08

    Hoje o preço pode ir a 110??? o mesmo analista no dia 23/04 agora falou isso;

    'Brandalizze destaca ainda que isso começa a dar algum folego aos consumidores de milho, já que o cereal parece estar chegando ao limite. "A B3 foi a R$ 104,00 e não consegue passar disso porque começa a liquidar. Os setores de ração e leite não conseguem pagar além disso". '

    https://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/milho/286145-milho-b3-diminui-forca-na-6feira-enquanto-mercado-fisico-segue-valorizado.html#.YIhubx-SlPY

    seria algum erro ou é proposital?

    2
  • Elvio Zanini Sinop - MT 27/04/2021 14:35

    Por que não vão procurar os valores repassados pelo Gov. Federal aos Estados e Municípios????; se aplicaram exatamente a fim que foi destinado a cada Estado e Município, para minimizar o efeito da Pandemia, vão descobrir que uma grande parte do dinheiro foi para o ralo.

    3
  • Adilson Dilmar Dudeck Cascavel - PR 27/04/2021 08:41

    É longo, mas vale a pena ler.

    Quando morei na China, no final da década de 1980 e início dos anos 1990, pude ver com meus olhos o início do crescimento daquele país.

    A cultura chinesa regada pela docilidade de um povo que há mais de 4 mil anos vive sob domínio dos imperadores, a maioria déspota, permitiu que a troca pelo regime comunista não fizesse qualquer diferença para eles, exceto em Hong Kong e Macau, onde os ventos de liberdade sopraram com maior velocidade.

    Mas o mundo desenvolvido (Europa e Estados Unidos) percebeu que poderia usar a China a seu favor. Enquanto um engenheiro europeu ganhava 5 mil dólares por mês para trabalhar

    36 horas por semana, um chinês trabalharia com muita vontade até 80 horas por semana, em troca de apenas 50 dólares mensais (como não é um país cristão, lá não existe domingo). Era um sonho para as empresas mundiais.

    Estados Unidos e Europa investiram trilhões de dólares na China por mais de 20 anos seguidos, fazendo com que a economia chinesa crescesse a gigantescas taxas de 12% a 15% ao ano por décadas. Chegamos à década de 2010 com a China ultrapassando as potências europeias e asiáticas e se tornando a segunda potência mundial.

    Isso acendeu uma luz nas nações mais desenvolvidas, que decidiram reduzir os investimentos na China e os transferiram para a Índia. Entretanto, o ritmo alucinante do

    crescimento chinês ainda levou alguns anos para sentir o redirecionamento dos investimentos, reduzido "suavemente" dos 15% para algo em torno de 6%. A Índia

    agora é a bola da vez, com a economia crescendo a estonteantes 10% ao ano.

    Mas as nações desenvolvidas não consideraram dois pontos básicos: ambos os países (China e Índia) possuem uma população acima de 1,3 bilhão; e também precisam de muita comida para alimentar sua população.

    Uma pequena ascensão social de 10% da população, por conta do aumento de oportunidades de trabalho e renda, representa toda a população de vários países europeus.

    Isso tem levado os chineses e indianos a "invadirem" os países mais pobres, sejam da Ásia ou da África para, à semelhança do que a Europa fez nos séculos passados, explorar

    todas as riquezas desses países pobres. Se apenas 1% dos 10% mais ricos desses países

    resolvessem investir seus lucros na Europa ou EUA poderiam criar (e têm criado) problemas no sistema bancário mundial. A China hoje já possui mais de 4 trilhões de dólares em títulos do tesouro americano e investimentos diversos em países pobres (Brasil, inclusive) acima de 1,5 trilhão de dólares.

    Os indianos e chineses (mais estes), que prezaram pouco pela ética ou valores morais judaico-cristãos (são países onde o cristianismo é minoria), encontraram nos países pobres um "ambiente" amigável para praticar seu esporte favorito: a corrupção.

    Os chineses, há mais tempo no mercado e com menos problemas de consciência, conseguiram dominar mais áreas na África. Porém, para prover comida, a joia da coroa era a América do Sul, sendo o Brasil a mais preciosa. Novamente, por uma mistura de ideologia e corrupção, a China tem levado vantagem sobre a Índia. Vários países latinos já estão beijando os pés chineses, pagando seus empréstimos com comida e matéria-prima subvalorizadas.

    Mas o sonho de consumo dos chineses sempre foi o Brasil. Tudo estava indo bem, mas

    quando os chineses finalmente resolveram comprar o Brasil, eis que os brasileiros, alheios

    a tudo o que se passava no mundo, resolveram colocar Bolsonaro na presidência. O

    problema é que os governos passados prometeram mundos e fundos para os chineses, que pagaram grandes lotes de propina na esperança de garantir comida e recursos naturais por mais 500 anos. Agora, mesmo comprando muitas terras, cooperativas

    agrícolas, empresas, portos, ferrovias, etc., suas atividades a cada dia estão mais restritas

    no Brasil. A xenofobia está à flor da pele.

    A realidade é que os chineses estão sofrendo na América do Sul. Investiram muitos

    bilhões na Venezuela, confiantes no petróleo, mas a produção de 3,5 milhões de barris diários caiu para 400 mil. Na Argentina, com a crise do coronavírus, a queda na produção foi de mais de 40%, ou seja, não tem comida para pagar os empréstimos. Pelo lado americano e europeu, a pressão está cada dia maior e os acordos comerciais que privilegiavam a China nos mercados mundiais estão, um a um, sendo revisto com sérios prejuízos para os chineses. Até Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, continuou a política restritiva americana com a China (e ainda chamam o Trump de nacionalista).

    A pergunta de 1 trilhão é: Qual será a consequência disso tudo para a China e a

    Índia? As questões comerciais dos chineses com europeus e americanos são o menor dos problemas. A questão "custo" ainda será importante por algum tempo, logo a China conseguirá vender seus "xing-lings" por um bom tempo. Mas o gargalo será arranjar comida para quase 3 bilhões de pessoas (China + Índia), que estão ficando um pouco mais ricas e exigindo um pouco mais de comida em seus pratos.

    Será que os dois maiores produtores de alimento do mundo (EUA e Brasil) vão dar colher de chá para China e Índia? Acho muito difícil, ainda mais se Bolsonaro conseguir um novo mandato de mais quatro anos. Daí, a urgente necessidade de evitar, a "qualquer custo", sua reeleição.

    O grande problema é que a crise alimentar já está batendo à porta e esperar mais seis

    anos será uma eternidade. Estados Unidos e Europa consomem aproximadamente 40%

    de todos os alimentos produzidos no mundo. Se considerarmos os grandes países da

    Ásia (Japão, Coréia, Malásia, etc), já teremos mais de 70% dos alimentos produzidos

    comprometidos. Como alimentar com 30% os 50% restantes da população do mundo?

    Não tem mágica nem matemática. Em pouco tempo, teremos fome nesses pobres países

    ricos. Estamos falando de muitos milhões de pessoas sem comida suficiente para viver.

    Consegue entender agora a razão de todo esse esforço da China, aliada aos governadores

    de esquerda, para destruir o governo Bolsonaro? É uma questão de sobrevivência.

    Só resta a China, e por tabela a Índia, tomar o maior celeiro de comida do mundo. Se não tomarem o Brasil, além de boa parte da população desses países passar fome, o preço das commodities vai disparar nos mercados mundiais. Recentemente, o presidente Emanuel Macron disse que vai separar áreas na França para plantar soja. Hoje, isso parece uma piada, pois o custo de 1 tonelada de soja na França deve ser 30 vezes maior que no Brasil. Mas, e daqui a 10 anos quando faltar soja no mercado? Macron pode ser tudo, menos louco.

    Atualmente, poucos países, como o Brasil, EUA, Canadá e Argentina, conseguem alimentar sua população e essa situação deve perdurar por muitos anos. O Brasil está em uma situação muito privilegiada, pois usamos apenas 16% de nosso território com a agricultura e pastagem para gado. Podemos ainda crescer 100%, sem comprometer qualquer sistema ecológico.

    Por qualquer ótica que se tente resolver essa questão chamada "comida" passaremos pelo

    Brasil e todos sabem disso, daí a luta da Europa e dos Estados Unidos, por exemplo, para impedir que nossa agricultura cresça usando como argumento a destruição da Amazônia. Querem destruir (ou pelo menos tentar) aquele que será o maior celeiro do mundo até 2030. Mas a pedra no sapato chama-se Bolsonaro e a direita brasileira.

    Creio que tanto Estados Unidos quanto Europa deveriam tratar melhor o Brasil. É a única chance que possuem para dobrar o grande dragão, exceto se, mais uma vez, a China resolver eliminar 20% da sua população, já que o vírus chinês não conseguiu matar nem 1% da população mundial.

    Resumo: se a China comprar o Brasil, o mundo passará fome. Se não comprar, a China

    passará fome. Nada é impossível para esse país onde morrer pela nação é um ato heroico

    para o pobre povo chinês. Por isso tudo é possível, não duvidem.

    Espero que o Brasil se prepare e, para o bem do mundo, que os chineses, os governadores e políticos corruptos, junto com a imprensa ideologicamente comprometida e parcial, não consigam derrubar Bolsonaro, acelerando a mudança da cor da nossa bandeira para vermelha com estrelas. O que a falta de comida no prato pode fazer no mundo!

    J.E. Conti ([email protected]) é engenheiro, consultor de negócios, escritor e empresário.

    11
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Com a desvalorizaçao do dolar nos ultimos anos, os produtos alimentares brasileiros --- que ja' eram competitivos, se tornaram supercompetitivos... Esse desnivel cambial vai ajudar muito o Brasil... O Brasil sozinho produz hoje uma safra de graos pouco inferior ao somatorio de toda a Comunidade Europeia... A Amazonia vai contribuir com muitos alimentos de especies perenes que nao eliminam a floresta... Cacau, borracha, frutas, nozes, etc, bem como pecuaria de bosque e muita madeira de extraçao sustentavel... Somente o 20% permitido pelo Codigo Florestal aprovado no reinado da Dilma permite agregar 50 milhoes de hectares aos atuais 37 ocupados atualmente na produçao de graos... A agricultura brasileira vai crescer muito...

      3
    • Leodir Vicente Sbaraine Terra Roxa - PR

      Correto Sr. Adilson, USA e Brasil não dominam o mundo porque não querem (pensam ), basta apenas se unirem e não vender commodittes ( alimentos ) apenas por Um Ano, e o Planeta estará em suas mãos, daremos as cartas , seremos os Países mais ricos do mundo.., isso não vai demorar muito, quem viver Verá...

      8